sexta-feira, 18 de junho de 2010

Prova 706, 1.ª Fase


A prova prática de Desenho A foi bastante acessível e equilibrada, considerando as questões e o tempo disponível para a sua resolução. No entanto, persiste o temor relativamente ao grau de autonomia técnica concedida. Esta só se verificou no Grupo II, com a possibilidade de optar entre a tinta-da-china e os pastéis de óleo (uma obsessão recorrente).
O último item merece alguma censura: um texto à guisa de preâmbulo sobre a Fundação Calouste Gulbenkian e o seu primeiro presidente ficaria bem: informaria muitos alunos, honraria a instituição e dignificaria a questão proposta.

3 comentários:

Anónimo disse...

.

Anónimo disse...

"bastante acessível e equilibrada"!?
pois bem, o primeiro grupo tinha três exercicios (3x40pontos) praticamente idênticos segundo um modelo verde baço, fantástico é que para aquilo ter expressão teria-se de contrastar intensidades lúminicas e arriscar, sim, arriscar para fazer algo normal de ser bem avaliado, o problema é que quando se arrisca para algo não normal e correcto de acordo com a cultura visual/expressão do examinando, não existe um único professor que tenha a coragem de entender aqueles traços, pois não formam aquilo a que se chama "normal" entre o seu meio. por outras palavras, o examinando deve fazer algo de acordo com o normal, mesmo desconhecendo esse normal devido à sua consciência crítica, ah, e o ultimo exercicio que vale 80 pontos, este sim é aquele em que o aluno se deve expressar de acordo com uma forma limpa e o mais próxima do compreensível pela generalidade, por outras palavras: critérios subjectivos. portanto, o último item é uma palhaçada, ou seja, todo o exame desenho é uma palhaçada para delimitar o futuro de qualquer jovem que realizou este exame. mais, COMO é que é possível condicionar a uma pessoa o seu futuro no campo das artes visuais. MAIS vale fazer cópias de desenhos ou quadros ou fotografias para definir a qualidade do aluno, se as pessoas acreditam numa criatividade/liberdade presente na maioria dos examinandos, então acreditam numa falácia.
Este comentário não pretende ser ofensivo, mas sim discutível e humanista.

Anónimo disse...

Respondendo aqui ao comentário de cima.... todos mas todos os exames nacionais feitos sobre esta reforma tinham este modelo de concretização, eu própria mais os meus colegas fizemo-los todos sem deixar nenhum atrás e verdade seja dita que o deste ano não fugiu á regra: Modelo, representaçao gráfica do modelo a grafite, distorção do modelo e representação gráfica a lápis de cor, e a sanguínea, não digo que estou de acordo com a maneira de como os exames são feitos e avaliados, porque nenhuma mente artística se consegue aperceber do talento nato daquela pessoa por representações gráficas de modelos e etc. Não posso queixar muito que tive 19 valores no exame mas concordo com a crítica aqui exposta.

Ligação rápida: Artes - Desenho - Geometria Descritiva